Liberação de recursos está atrasada no CE


Combate à seca

As propostas para ajuda aos produtores estão acumuladas. Eles querem liberação dos financiamentos

Iguatu No Interior do Ceará, os produtores rurais que sofrem com a seca, a falta de grãos e de água para alimentar e dar de beber aos animais, estão descontentes com o atraso na liberação de recursos financeiros especiais anunciados pelo Governo Federal. As propostas se acumulam nas agências do Banco do Nordeste, instituição responsável pela aprovação e liberação dos recursos dos financiamentos.


Os efeitos da seca têm obrigado os agricultores a recorrer a linhas de financiamento FOTO: KID JÚNIOR

A região Nordeste enfrenta uma das piores secas dos últimos anos. Em decorrência da gravidade da estiagem, o Governo Federal anunciou a liberação de financiamentos especiais para os atingidos pelo fenômeno climático. Foram definidas duas linhas de crédito. O Pronaf Semiárido Seca 2012 que tem limite máximo de R$ 10 mil e o FNE Rural Seca 2012 que opera com até R$ 100 mil. O anúncio do Governo mostrava que o crédito seria de fácil acesso, rápido e desburocratizado. Resultado: os produtores rurais procuraram as secretarias de Agricultura, os escritórios da Ematerce e da Agência de Defesa Agropecuária (Adagri), nos Municípios, para o credenciamento, elaboração de projetos e encaminhamento ao banco. A demanda cresceu consideravelmente e faltou estrutura de atendimento nas agências do BNB.

Insatisfação

Nas últimas semanas, aumentou a insatisfação dos secretários de Agricultura dos Municípios, técnicos dos escritórios da Ematerce e produtores rurais. "A situação chegou a um ponto crítico", disse o secretário de Agricultura de Iguatu, Valdeci Ferreira. "As insatisfações são generalizadas e quase nada foi liberado até agora", afirmou.

Ferreira fez questão de destacar que os funcionários da agência regional do BNB em Iguatu são atenciosos, mas insuficientes para atender a demanda elevada de propostas de crédito. "Há boa vontade, mas não há pessoal suficiente", disse. "A direção do banco precisa enviar mais técnicos para o Interior".

O secretário de Agricultura de Icó, Mailton Bezerra, disse que o anúncio do Governo criou uma expectativa entre os produtores que não está se concretizando. "É um absurdo a situação atual, pois fizemos várias propostas e nenhuma sequer ainda foi cadastrada", disse. "Aqui todos estão insatisfeitos e as reclamações dos agricultores são diárias".

O gerente local do escritório da Ematerce em Icó, Francisco Alencar, avalia que a burocracia trouxe dificuldades para os produtores e para o banco. "As exigências são muitas e com a falta de funcionários a situação virou um caos", disse. "Suspendemos o envio de novas propostas porque as 100 que já foram encaminhadas ainda não foram cadastradas e nem analisadas".

O agrônomo do escritório da Ematerce em Iguatu, Jaime Uchoa, reafirma o clima de insatisfação e disse que também suspendeu o envio de propostas ao banco. "Não adianta porque as que estão lá não são analisadas". Uchoa reclamou do excesso de burocracia. "O banco devolve por falta de um ponto, uma coisa mínima, e a gente tem de refazer quatro vezes um projeto".

Na manhã de anteontem, no escritório da Ematerce em Iguatu, três produtores reclamaram da demora na liberação dos financiamentos. Até os projetistas particulares suspenderam o serviço em decorrência do atraso. "Procurei um técnico e ele disse que não recebia mais porque no banco está tudo parado", contou um produtor rural do Sítio Umarizinho, em Quixelô, que pediu para não ser identificado.

Os produtores querem recursos para construção de poços, de pequenas barragens, canais de irrigação e cultivo de capineira. "Já gastei mais de R$ 300,00 e ainda não consegui dar entrada na proposta", disse outro produtor, que também pediu para não ser identificado.

Acúmulo

O superintendente estadual do Banco do Nordeste (BNB), Rivônio Morais, disse que a demanda extra provocou acúmulo de serviço. "Há um esforço de nossa parte para atendermos os produtores e para isso estamos realizando mutirões de fim de semana nas agências do Interior. Já atendemos com equipe de reforço nas cidades de Crato, Boa Viagem e Quixeramobim e no próximo fim de semana possivelmente vamos para Iguatu".

Rivônio Morais disse que o Ceará é um dos Estados que mais liberaram crédito especial da estiagem no Nordeste. Ele frisou que apesar do encaminhamento de centenas de propostas, a agência de Iguatu já alcançou neste mês de agosto 90% da meta estabelecida para este ano do Pronaf. Este já liberou 100 operações, que totalizam R$ 1,182 milhão de financiamento para o programa da seca e há 350 propostas para serem analisadas em Iguatu. No Ceará, já foram disponibilizados R$ 25 milhões.

Mais informações:

Superintendência Estadual do BNB
Telefone: (85) 3457. 6200
Escritório da Ematerce em Iguatu
Telefone: (88) 3581. 9478

REPÓRTER 
HONÓRIO BARBOSA




Diário do Nordeste/Regional